Insegurança

por Igor Passos

Não me permito o direito de julgar o próximo, mas quanto ao julgamento pessoal, dou-me a primeira sentença. Talvez isso reverbere em minha capacidade de ser, de estar, talvez isso me impeça de muito errar, mas será que isso é bom para quem poderia eu ser?

A insegurança me persegue como em um passo de dança, ela me guia por muito em minha vida. O tempo se torna parte importantíssima no ato de refletir: e se? Eu quero, mas não vou. É inseguro. A zona de conforto é algo que me prende, mas deixa de fora essa força que me impede de algo. (Essa força sou eu?)

Medo, peso, retrocesso, impasse, bloqueio, raiva, dor, garganta afunilada. Grito. Parado, olhar, observo mas não faço, duas vozes, posso e não posso, o que vão pensar, o que eu vou pensar de mim depois disso, o ato de fazer, arrepender-se, ser seguro por fora, o medo por dentro. Medo de novo. Angústia, ansiedade, futuro, preso ao passado, estagnado. Insônia, planos mudos, trabalho, perda do individual.

PARE PARE PARE PARE PARE PARE

PARE PARE PARE PARE PARE PARE PARE

PARE PARE PARE PARE PARE PARE PARE PARE PARE

SIGA SIGA SIGA SIGA SIGA SIGA

SIGA SIGA

SIGA

CALE O MEDO GRITE A VONTADE

CALE O MEDO GRITE A VONTADE

MEDO GRITE A VONTADE

GRITE A VONTADE O QUE O PEITO TEM MEDO

A insegurança vai e volta, ontem ela foi e hoje já voltou. Espero que logo se vá, sim, estou expulsando-a, quero a paz da coragem de ser. De fazer. De viver. Aceite querido eu, a insegurança de fazer só causa dor. A certeza do certo ou errado só se mostra quando tentada. Caso contrário, o mundo gira e você fica.

Um belo recado.

Anúncios