E eu tive que te dizer adeus

por Igor Passos

Ainda não cheguei ao fim, lembro-me que em minha agenda anotei aquele encontro para sexta, minha despedida formal. Minha pois você fica, eu é que vou, eu é que continuarei a relembrar tudo aquilo que senti e omiti por tanto tempo.

Hoje parado em frente a minha estante retirei aquele livro que um dia me fora apresentado: e lembrei-me da alegria que senti. Naquelas páginas, em suas entrelinhas, continha um mundo que era secreto e a mim, logo a mim, foi dado a honra de ser lido. Porque você é assim, essa caixinha de surpresas que há a necessidade da espera para que se possa abrir.

(E isso me encantou).

Eu, infelizmente, tive que dizer adeus. E foi preciso, é preciso pois seguiremos agora caminhos distintos, eu a conhecer o mundo, você a consolidar caminhos.

E me dói um pouco, pois minh’alma fora cativada pela tua. Eu fui cativado por palavras rasgadas em um quadro cujo qual me lembro de cada centímetro.

E agora a água corre seu curso.

E eu a acompanho.

Adeus.

(meu primeiro amor. – Mas será que foi amor?)

Eu espero que as promessas sejam cumpridas e que, independente de qualquer coisa, sigamos nossos caminhos.

Você é minha inspiração, minha luz.

Mas agora me vou.

Adeus.

Anúncios