Vale a pena a vida de artes cênicas?

por Igor Passos

Já respondendo a pergunta antes mesmo dos argumentos: eu não sei.

Como assim não sabe de algo que vai falar? Exatamente isso, eu não sei, mas posso explicar o por quê do título. Ainda estou no terceiro ano do ensino médio, optei por cênicas, já fiz minha prova de habilidade específica e estou muito feliz com a minha escolha e é sobre isso que quero falar: esse texto não é sobre a vida de ator, mas sobre a atuação que muitas vezes você tem que fazer.

Quando somos crianças temos uma mente fértil e sempre pensamos na nossa felicidade, vamos crescendo e percebendo que muitas vezes ser feliz não significa ter sucesso perante as outras pessoas. Mas te pergunto: vale a pena abrir mão da felicidade interior por mero status? Vale a pena abrir mão da paz consigo mesmo por conta de falsas certezas?

Já nos fala Cícero em sua música João e o pé de Feijão “diz a lenda que trocou suas certezas por alguns sonhos mágicos”. E agora uma explosão: É PRECISO DESAPEGAR DE FALSAS CERTEZAS SIM. Olhe em sua volta.

Há uma porta.

Há uma parede.

Mas quem garante que ela estará aí amanhã? Pode haver uma chuva forte, pode haver uma ventania, um assalto…

E depois do material, de suas certezas, de seu ponto que necessita ser batido todos os dias na mesma hora, o que resta do seu real eu?

Nós somos as somas de nossas escolhas, somos reflexo daquilo que escolhemos para nós mesmos. Pare.

Silêncio.

Escolher a felicidade, para muitos, é covardia. Seja covarde.

Embora vivamos em um mundo em que se necessita de muitas coisas (muitas vezes inúteis) não precisamos nos prender a isso. Quem se ama se respeita. E escolher ser feliz é se respeitar.

Mas Igor, o que são falsas certezas? Uma pequena digressão aqui: quando nascemos somos impostos a crescer, ter sucesso na escola, prestar um vestibular e entrar para um curso de sucesso ou prestar concurso público (pelo menos aqui em Brasília é o sonho de muitos). Somos impostos a ter empregos que não queremos, para comprar coisas que não precisamos e agradar pessoas que não deveríamos (sim, parafraseando fight club). Percebe? São falsas certezas, pois não te trazem o maior bem da vida: A FELICIDADE. São certezas que te afastam de você mesmo..

Você se olha no espelho e de repente BAM! Não sabe mais para o que está olhando.

Você não precisa de uma casa de luxo.

Você não precisa de 30 mil por mês na tua conta.

Você não precisa de um calçado de 5 mil reais.

Você precisa ser feliz!

A vida é uma só. Única. Num momento você está aqui, no outro, não mais. A felicidade é intransferível, ou se é feliz ou não. Escolha ser.

Acho que após tudo isso eu consigo responder: a vida de artes cênicas, PARA MIM, vale a pena sim! Pois me encontro, me  mostro e ao mesmo tempo DESCUBRO QUEM SOU EU! Agora, após refletir um pouco, se olhe no espelho e responda: “qual é a minha arte cênica?” e tenha coragem de viver feliz e não por obrigações sociais.

Ser feliz é uma dádiva que poucos alcançam… Ao partir lembre-se que nada do lixo industrial vai com você, a paz e o amor de ter tido uma vida satisfatória com as escolhas, sim.

Anúncios